Nota de apoio à greve dos/as professores/as e funcionários/as da rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul

O Fórum Renova Andes-SN manifesta sua solidariedade e apoio à greve dos/as professores/as e funcionários/as da rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul. Greve esta deflagrada em 18 de novembro de 2019 como resposta ao desmonte dos serviços públicos – em especial da educação e aos ataques ao funcionalismo público estadual expressos no pacote enviado pelo governador Eduardo Leite à Assembleia Legislativa, que inclui a destruição da carreira e da previdência dos/as servidores/as públicos/as estaduais. Some-se a isso o parcelamento e atraso de salários que já completa 47 meses e cinco anos de congelamento.
A atual política desenvolvida pelo governo de Eduardo Leite possui correspondência com a política de terra arrasada e anti-povo do governo Bolsonaro e que busca ganhar terreno na América Latina com apoio do imperialismo – como vemos no Chile, no Equador e na Bolívia e contra as quais os/as trabalhadores/as resistem com suas organizações e seus instrumentos de luta.
Ao nível do governo federal, o governo de Bolsonaro/Guedes apresenta o pacote chamado de Plano Mais Brasil, composto de três propostas de emendas constitucionais (a do Pacto Federativo, a Emergencial e a dos Fundos Públicos) que, entre outras medidas, ataca os/as servidores/as públicos/as com redução e congelamento de salários e promoções, proíbe novos concursos, reduz o número de carreiras, corta orçamentos, etc.
O aludido déficit nas contas públicas usado como argumento para os ataques desferidos por Leite e Bolsonaro aos servidores/as públicos/as encobre a recessão econômica cuja raiz está no golpe de 2016 e nas medidas econômicas de Temer-Bolsonaro.
Por outro lado, o movimento grevista no Rio Grande do Sul já contabiliza mais de 1.500 escolas paradas (773 escolas totalmente paralisadas e 760 afetadas por adesão parcial) e conta com apoio dos/as jovens que veem na luta pela escola pública a luta pelo seu futuro.
A vossa luta, portanto, é a nossa luta! Não aos ataques de Bolsonaro e Leite!
Saudamos, nesse sentido, os/as professores/as e funcionários/as da rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul, saudamos o CPERS e seus núcleos afirmando nossa solidariedade e apoio à vossa greve.
Repudiamos a violência e agressões físicas desferidas pela polícia comandada por Leite sobre os/as professores/as e funcionários/as ontem, 26/11, ao término da assembleia geral do CPERS, que reuniu mais de 15 mil trabalhadores/as na Praça da Matriz em Porto Alegre.