TESTEMUNHO DE UMA PROFESSORA

Hoje saiu a prévia do meu contracheque e se confirmou um aumento de 5%, última parcela negociada na greve de 2015, do governo Dilma. 
Gostaria de uma autocrítica e mea culpa do meu sindicato nacional, o Andes-SN.

Tantas greves e críticas aos governos Petistas, nenhuma trégua, mesmo com a expansão das universidades, criação de centenas de Institutos federais, da política de cotas, do piso nacional de professores, oportunidade de trabalho para muitos professores, bolsas…


Afirmo que mesmo com Fies houve a oportunidade para pessoas que jamais entrariam numa universidade, porque trabalhavam o dia todo e não tinham condições de concorrer a uma vaga na federal. 


Esses, alijados de uma formação universitária, entraram, financiaram uma universidade privada e se formaram. Testemunho que até essa política foi acertada, porque trabalhei por 8 anos em duas universidades privadas (e até meus empregos aconteceram devido ao Fies) e vi lindas histórias e sonhos alI se concretizarem. 


Hoje questionamos se fazemos uma greve, em situações centenas de vezes mais graves, visto que banalizamos o instrumento, vivemos a ameaça de termos nosso salários cortados, a autonomia e direito a escolha dos nossos dirigentes já é frontalmente atacada e desrespeitada, coisa que jamais aconteceu em 14 anos dos governos petistas, só para exemplificar…


Eu gostaria, sinceramente, que todos nós professora/es, técnica(o)s administrativos em Educação, aluna(o)s e ex-aluna(o)os das universidades e institutos federais admitíssemos que temos saudades dos governos petistas, que mais acertou que errou nas políticas de educação, particularmente para universidades e Institutos federais.

Brindarei hoje pelo meu pequeno aumento e por hoje ser ainda uma professora de uma universidade federal e por todos os acertos, alguns aqui enumerados. 
Que saudades dos meus ex, Lula e Dilma!

ESTE TEXTO É ASSINADO PELA PROFESSORA GISELLE MORAES MOREIRA – COMPONENTE DO FÓRUM RENOVA ANDES – EM 18 DE AGOSTO DE 2019.

Anúncios