Carta aberta da Chapa 2 – Renova ANDES a docentes, à direção do ANDES-SN, à Chapa 1 – ANDES autônomo e de luta

O Golpe desferido em 2016 acaba de dar um passo decisivo com a prisão ilegal de Lula, condenado sem provas e sem crime. Trata-se de um ataque aos traços de liberdades e garantias democráticas que ainda vigem no país, que, ademais, promove uma fraude antecipada das eleições marcadas para 2018, ao eliminar o candidato líder da preferência popular.

Há 2 anos, nós do Fórum Renova Andes, agora Chapa 2, combatemos com nossas melhores forças, em cada assembleia, em cada Congresso, em cada CONAD, para que o nosso sindicato abraçasse a luta unitária contra o golpe. Nosso apelo foi sempre no sentido de que nosso sindicato se juntasse à imensa maioria das entidades sindicais, democráticas e populares que se empenham nesta luta desde antes da farsa do impeachment da Presidente Dilma, legalmente eleita, porque sabíamos que sua remoção visava a abrir caminho para os ataques aos direitos que assistimos neste período, parte importante deles já aprovadas no parlamento reacionário e contra o que temos nos batido.

Por isso, de nossa parte, estamos engajados em todas as iniciativas em defesa da democracia, dos direitos e da liberdade de Lula, inclusive organizando, ao lado das várias organizações, as caravanas à Curitiba.

Hoje vemos que nosso combate não foi em vão. Mesmo que o 37º Congresso do ANDES-SN (Salvador, janeiro de 2018), no momento do qual se realizava a farsa judicial que condenou Lula no TRF-4, tenha ainda se negado, por orientação da atual Diretoria e sob pressão da CSP-Conlutas, a inscrever em sua bandeira a luta contra o golpe, aprovamos ali uma moção contra a seletividade da Justiça, um passo pequeno mas importante.

Congratulamo-nos pelo Sindicato ter se pronunciado contra a prisão de Lula na última sexta, 5 de abril de 2018. Não é pouca coisa vermos as bandeiras dos partidos e correntes que compõem a atual direção do ANDES-SN ao lado das bandeiras das entidades historicamente construídas pela classe trabalhadora em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, nos dias de resistência em que ali bateu o coração da nação trabalhadora. Mesmo que continuemos nos ressentindo da ausência da bandeira de nosso sindicato nas manifestações, ao lado das bandeiras das demais organizações.

Este fato é ainda mais importante no momento em que a Central Sindical a que nosso sindicato está filiado, a CSP-Conlutas, divulgou nota em que defende a prisão de Lula, sob a forma mal disfarçada de “prisão de todos os corruptos”, da mesma forma que defendeu a derrubada de Dilma, sob a também mal disfarçada fórmula do “fora todos”.

A Chapa 2 – Renova Andes entende que a hora é a da mais ampla unidade com foco na luta pela libertação de Lula, hoje preso político do regime golpista, porque esta prisão sinaliza uma ofensiva da reação, do totalitarismo judicial e do Governo Temer sobre todos os segmentos do movimento operário, camponês, juvenil e popular.

Nestes próximos dias retornaremos ao debate específico do nosso Sindicato Nacional. É preciso que o debate eleitoral acerca dos problemas específicos de nossa categoria nem perca de vista a necessária luta contra o autoritarismo que avança sobre todos nós, sinalizado pela prisão de Lula, nem descambe para o recurso da difamação e da calúnia. É preciso nesta hora que o debate das profundas divergências que separam nossas chapas se mantenha no nível esperado pelos professores e não seja um obstáculo para enfrentarmos os inimigos da democracia encarnados no conjunto do regime político que começou a se instalar com o impeachment sem crime da presidente Dilma em 2016.

A unidade em meio à diversidade hoje não é opcional. Por isso devemos aproveitar a adversidade atual por que passamos para assegurar que a nova gestão, independente de quem seja vitorioso no pleito de 9 e 10 de maio, integre o nosso sindicato na mais decisiva luta de nossa geração, a luta contra o golpe de 2016 e pela liberdade para Lula, reatando assim, e num momento crucial, seus laços com a grande maioria do movimento dos trabalhadores.

Sendo assim, convidamos todos os docentes da base de nosso sindicato, a Diretoria do ANDES-SN e nossos concorrentes da Chapa 1 para:

  1. Constituir de forma unitária Comitês de Luta pela Democracia e pela Libertação de Lula em todas as IES;
  2. Participar da organização das caravanas populares a Curitiba;
  3. Afirmar que o ANDES-SN se desassocia total, completa e publicamente da nota da CSP-Conlutas que endossa a prisão de Lula;
  4. Retomar no CONAD de Fortaleza, a partir dos Textos de Resolução apresentados, o balanço da filiação de nosso sindicato a esta Central que, abertamente, ultrapassou a linha de classe e inclusive a linha que separa a democracia do totalitarismo.

 

Com fraternas saudações sindicais,

 

Celi Taffarel – UFBA/Candidata a presidenta do ANDES-SN

Lurdinha Nunes – UFPI/Candidata a secretária-geral do ANDES-SN

Everaldo Andrade – USP/Candidato a primeiro-tesoureiro do ANDES-SN

Em nome da Chapa 2 – Renova ANDES e do Fórum Renova ANDES

 

Anúncios

Um comentário

Os comentários estão fechados.