Chamamento aos docentes de todo o Brasil e ao Andes-SN para defesa da Democracia e do Estado de Direito

É a véspera da batalha.

É a preparação de nossos quadros.

É o estudo do plano de luta.

É o dia antes da queda

De nossos inimigos.

Bertolt Brecht

Diante da grave agressão realizada pelo plenário do Supremo Tribunal Federal contra a democracia, ao que resta de  Estado de Direito e aos direitos básicos do ex-presidente Lula, nesse dia 4 de abril de 2018, nós, docentes do Fórum Renova Andes, que hoje compomos a Chapa 2 para as eleições do ANDES-SN – Sindicato Nacional nos próximos dias 9 e 10 de maio, repudiamos a decisão de negar habeas corpus ao ex-Presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, um cidadão condenado à prisão sem crime e sem provas e agora sem direito real à prerrogativa do recurso aos tribunais superiores.

Essa perseguição política, jurídica e midiática ao primeiro colocado nas pesquisas para as eleições de 2018 nada mais é do que uma fraude antecipada do pleito presidencial previsto e uma manobra política para impedir que a classe trabalhadora reverta o golpe que ora ataca direitos e conquistas do nosso País. Para tanto, não se constrangem em jogar às favas os pilares elementares do Direito e da democracia, como a presunção de inocência.

Defender Lula hoje transcende qualquer caráter partidário. Posicionar-se de forma intransigente contra essas injustiças é defender a democracia, o Estado de Direito e as garantias básicas de todo e qualquer cidadão e cidadã. A luta contra o golpe é a luta imediata dessa geração.

Tal tarefa não pode ser negligenciada pelo movimento sindical docente de todos os níveis. Tampouco deve ser restrita a plataforma eleitoral dos que disputam entidades representativas, como o Andes-SN. Por isso conclamamos a professoras e professores de Universidades, Institutos Federais, CEFETs e Colégios de Aplicação, independente do que pensem a respeito de nossa chapa, a organizarem Comitês Populares de Defesa da Democracia em suas instituições ou se juntarem aos existentes, a exemplo do que fizemos durante o golpe de 2016.

Esse momento é de unidade de todo o movimento docente contra o avanço do regime de exceção e do Bonapartismo judicial, com seus subprodutos, como a ação dos grupos fascistas. Ele precisa ultrapassar as linhas de força expressas na disputa de nosso sindicato ou todos seremos massacrados, logo após Lula, vítimas do fim de garantias básicas.

Por fim, nós do Fórum Renova ANDES-SN estamos  comprometidos com a busca da unidade na luta contra o golpe e os golpistas e, como tal, com a construção dos  comitês populares pela democracia e pelos direitos de Lula.

 

Salvador, 05 de abril de 2018

 

Celi Taffarel – UFBA

Lurdinha Nunes – UFPI

Everaldo Andrade – USP

Em nome do Fórum Renova Andes

Chapa 2 – Renova Andes

Anúncios